História do Café – conheça a trajetória do grão

Post destacado

História do Café parte 2: o grão chega ao Brasil

Com a ajuda dos holandeses, que dominavam o comércio marítimo, o café chega à América. No Brasil, no entanto, o café chegou a partir da Guiana Francesa, pelas mãos do oficial português Francisco de Mello Palheta.

Um linda história de amor envolvendo a chegada do grão ao Brasil

Segundo uma das versões da história, o café chegou ao Brasil de maneira furtiva e apaixonada. Palheta recebeu sementes da planta como presente de Madame D’Orvilliers, esposa do governador de Caiena. Imagina-se que houve um romance entre eles e as sementes foram um romântico simbolismo da paixão: em terras férteis, poderiam brotar e crescer, tal como uma idealizada relação.

O amor dos dois não teve sorte, mas os grãos sim, expandindo-se, um século e meio mais tarde, no Rio de Janeiro, mais especificamente em 1781, quando começou a ser plantado por João Alberto de Castello Branco.

Era momento em que se esgotava o ciclo do ouro em Minas Gerais, e os grandes proprietários procuravam uma nova atividade para investimento. 💰

Enquanto isso, o consumo de café nos Estados Unidos e Europa crescia e crescia, criando espaço para a chegada de um

Novo Ciclo Econômico, no país e no mundo! Começava a era do ouro verde!

🤲 🤎 Adentramos o século XIX, período vital para a expansão territorial da cultura cafeeira e de seu protagonismo na economia brasileira. 

🗺 Para que fique mais claro o contexto histórico desse início de século, em 1803 tiveram inicío as Guerras Napoleônicas. A França, através de seu Imperador, Napoleão Bonaparte, avança para a conquista das demais nações europeias. ⚔️

🤴 Para fugir da invasão e proteger a nobreza, a família real portuguesa desembarca, em 1808, em sua mais próspera colônia: o Brasil. Pela primeira vez na história uma colônia européia torna-se sede do Império. 🔖

📜 A vinda da família real portuguesa, que ficou sediada no Rio de Janeiro, transformou a vida brasileira em todos os sentidos: costumes, política e economia. Foi nesse período a abertura dos portos, a criação da Imprensa Régia, a fundação do Banco do Brasil, a criação da Academia Real Militar e abertura de escolas de medicina. 👩‍⚕️

📚Também são das primeiras décadas do século a criação da Biblioteca Real, atual Biblioteca Nacional, do Jardim Botânico e do Museu Real, atual Museu Nacional. 🏺

✨Como o ciclo da cana e do ouro, respectivamente, haviam chegado ao fim, era hora de investir em uma atividade que rendesse impostos à coroa e o café surge como nova possibilidade para arrecadação.💰

🌄 A região do Vale do Rio Paraíba, terras que até então eram usadas como passagem para escoamento do ouro e por isso pouco habitadas, revelaram-se férteis e com clima adequado para o cultivo do café. 🌱

🧑‍💼 Assim, os antigos mineradores e aqueles que enriqueceram com o ouro, após ganharem terras (sesmarias) para seu cultivo, iniciaram o movimento de interiorização rumo às terras “serra acima” – região hoje conhecida como Vale do Café. 🍒

🎩 Entre os cafeicultores que se sobressaem na região estão: Domingos Custódio Guimarães, que futuramente construiria as sedes do Hotel Fazenda União e da Fazendadoparaizo_rj ; o Barão do Rio Bonito, cujo filho, o 2º Barão do Rio Bonito, fundaria a Fazenda Alliança Agroecológica e Antônio Ribeiro Avellar, cujo genro, Luis Gomes Ribeiro, seria responsável pela construção da Fazenda São Luiz da Boa Sorte.

📸 😋 Nas fotos, algumas delícias de café que até hoje inspiram muitas histórias e paixões! Mesa de delícias de café do Uaná Etê e bolo de café e açúcar mascavo, da Fazendadoparaizo_rj.

Posts mais recentes

5 Lugares para conhecer no interior do Rio de Janeiro: Miguel Pereira

Quando o destino é o interior do Rio de Janeiro, o Vale do Café se destaca. Você pode escolher esse roteiro por diversas razões: para descansar, para se aventurar, para curtir a história, para apreciar a natureza ou aproveitar uma gastronomia de qualidade. Talvez tudo isso junto, quem sabe? Se você ainda não conhece, aContinuar lendo “5 Lugares para conhecer no interior do Rio de Janeiro: Miguel Pereira”

Rota do Grão e uma provinha de destilado: roteiro do café no Vale do Café

Uma oportunidade de viver diferentes experiências com café e destilados de alta qualidade na região que preserva história e se destaca pela produção sustentável. O Vale do Café recebe esse nome por conta da sua história. Durante o século XIX o grão do café correspondia por 75% das exportações do país. E as cidades localizadasContinuar lendo “Rota do Grão e uma provinha de destilado: roteiro do café no Vale do Café”

Conheça a Cachaça do Vale do Café que está sendo vendida na França

A Cachaça Werneck lança o blend “Tijuca Single Organic Cachaça” que será vendido na França Nesse ano, a Tijuca, companhia francesa que trabalha ativamente em prol de pautas socioambientais, iniciou uma negociação para a importação da Cachaça Werneck, um produto 100% orgânico e produzido na região Vale do Café. O interesse da companhia que temContinuar lendo “Conheça a Cachaça do Vale do Café que está sendo vendida na França”

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.

Siga-me

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: